Espírito Santo segue sem áreas com seca pelo segundo mês consecutivo
Monitor de Secas registra abril com melhora nas condições de seca na maioria dos estados monitorados

No Espírito Santo, o mês de abril não teve o registro de áreas com seca, assim como aconteceu em março. Desde a entrada do território capixaba no Mapa do Monitor, em abril de 2019, esta é a primeira vez que o estado registra dois meses consecutivos sem a presença do fenômeno. Em abril o Espírito Santo teve baixo volume de chuvas para o mês com acumulados inferiores a 120mm. Nesse período foram observadas precipitações abaixo da média em todo o estado, mas sem caracterizar seca. Os dados são da Agência Nacional de Águas (ANA).

As precipitações variaram de normal a ligeiramente acima da média de forma geral. Porém, em algumas áreas aconteceram chuvas abaixo da média, como no Espírito Santo, porção sul e oeste de Minas Gerais e em parte do leste nordestino, numa área entre Alagoas e o Rio Grande do Norte. As precipitações também ficaram abaixo da média no centro-leste do Maranhão, no extremo sul do Piauí, na porção central do Ceará e em alguns pontos do oeste e sul da Bahia.


Abril é considerado o último mês do período chuvoso em Tocantins e na área central do Nordeste. Em Minas Gerais e no Espírito Santo, o mês é de transição do período chuvoso para o período seco. Em abril, as precipitações com valores iguais ou superiores a 300mm ocorreram no centro-norte e oeste do Maranhão, no extremo norte de Tocantins e Piauí, no litoral do Ceará, em algumas áreas de Tocantins e no litoral leste do Nordeste. Espírito Santo e grande parte de Minas Gerais registraram chuvas abaixo de 120mm, enquanto nas demais áreas as precipitações de abril variaram entre 120mm e 250mm.


O Monitor de Secas tem uma presença cada vez mais nacional, abrangendo os nove estados do Nordeste, Espírito Santo, Minas Gerais e Tocantins. Os próximos estados a se juntarem ao Monitor serão Goiás e Rio de Janeiro, que já estão em fase de testes e treinamento de pessoal. Essa ferramenta realiza o acompanhamento contínuo do grau de severidade das secas no Brasil com base em indicadores de seca e nos impactos causados pelo fenômeno em curto e/ou longo prazo. Os impactos de curto prazo são para déficits de precipitações recentes nos últimos um a seis meses. Para secas acima de 12 meses, os impactos são de longo prazo.


O Monitor vem sendo utilizado para auxiliar a execução de políticas públicas de combate à seca e pode ser acessado tanto pelo site monitordesecas.ana.gov.br quanto pelo aplicativo Monitor de Secas, disponível gratuitamente para dispositivos Android e iOS. (*Com informações da ANA)



Fonte: Safra ES 

Compartilhe nas Mídias Sociais

Fale Conosco
faes@faes.org.br
+55 (27) 3185-9227
Av. Nossa Senhora da Penha, 1495
Torre A, 10º Andar - CEP: 29056-243
Santa Lúcia, Vitória - ES